Todo profissional da área da qualidade está preocupado em garantir a padronização, rastreabilidade, integridade, confidencialidade, autenticidade das informações e adequação do processo laboratorial às normas aplicáveis, facilitando o atendimento dos requisitos, eliminando o estresse em auditorias e reduzindo a quantidade de SAC.

Por esta razão, é necessário um sistema adequado às principais normas e boas práticas como a ISO 17025 e ISO 9001, Boas Práticas de Laboratórios, entre outras.

Pensando nisso, trouxemos as principais funcionalidades do myLIMS, que vão de encontro a resolução de todos os itens listados:

  • Utilização correta dos filtros: conferir todas as análises de uma só vez pode confundir seu analista, pois quem tem várias prioridades, na verdade não tem nenhuma prioridade. Faça um filtro das análises por validade e/ou data de conclusão. Dessa forma, você evidência qual é a análise prioritária deixando-a no topo, evitando insatisfações dos clientes por atrasos.
    • DAQ: a aquisição automática de dados elimina mais uma etapa de trabalho repetitivo e potencialmente falho do processo de análise, permitindo que os resultados gerados pelos equipamentos sejam enviados diretamente para o myLIMS, evitando insatisfações por análises liberadas incorretamente e, consequentemente, gastos com recoletas ou recall.
    • Mobile Coleta e Mobile Análises: tanto dentro do laboratório quanto em coletas ou análises em campo, é possível utilizar aplicativos integrados ao myLIMS que permitirão o registro de dados diretamente em meio eletrônico, eliminação de papel e erros, garantindo assim agilidade, integridade e rastreabilidade das informações.
    • Migrador de resultados terceirizados: através da migração de resultados, o myLIMS possibilita o tráfego de dados das amostras por meio de um arquivo, que pode ser facilmente exportado e importado em diferentes ambientes, ou seja, enviados de um laboratório a outro, agilizando o processo e eliminando completamente erros de transcrição de dados que poderiam chegar ao cliente final.
    • Método de análise com planilha de cálculo: a transcrição de dados é uma das principais fontes de erro dentro de um laboratório, o que coloca em risco a confiabilidade dos resultados, além de ocupar um tempo considerável dos analistas, diminuindo drasticamente a produtividade da equipe e desperdiçando recursos que poderiam ser dedicados a tarefas mais qualificadas. A utilização dos métodos com cálculos elimina a necessidade de transcrever manualmente os dados brutos e realizar cálculos manuais, evitando a possibilidade de respostas incorretas aos clientes.
    • Rotina de revisão de amostras: simplifica o processo de verificação e análise crítica dos resultados, já que através de fórmulas pré-determinadas, consolida todas as divergências em um único local e emite alertas aos responsáveis pelos processos, facilitando a tomada de decisão do responsável.
    • Rotina de revisão de análises: este recurso compara continuadamente os resultados de um processo com um padrão, identificando, a partir de dados estatísticos, as tendências para variações significativas, eliminando ou controlando estas variações com o objetivo final de garantir, com produtividade, a qualidade dos itens produzidos.
    • Tela de operação: recurso possibilita a visão de um determinado ponto e o monitoramento dos resultados, de forma que atenda requisitos definidos, de acordo com a necessidade de cada cliente.
    • Geração automática do Relatório de Análises: garante que o cliente receba em mãos tudo o que foi inserido no sistema sem nenhuma interferência manual de dados.
    • Portal de resultados: unifica todos os relatórios dos clientes em um só lugar, facilitando a visualização e gestão dos dados por eles mesmos, além da independência do laboratório para obtenção de seus relatórios.
    • Integração de sistemas: promove agilidade na solicitação de amostras e análises, bem como a realimentação dos resultados diretamente nas interfaces de trabalho do dia a dia dos operadores, garantindo assim menor trabalho administrativo e redução dos erros operacionais.
    • Indicadores de qualidade: permitem aos gestores da qualidade obterem dados através de gráficos, listas e alertas por e-mail, simplificando a visualização de desvios e tornando a tomada de ações corretivas mais rápida.

Consolidando a ideia, se não existem transcrições e interferentes, não existem erros de registros. Se o processo é mais seguro, é possível automatizá-lo, o que resulta em redução de tempo para tomada de decisões. Se o tempo entre a identificação de um desvio e a ação do responsável é reduzida (ou eliminada), não existem prejuízos com entrega de dados incorreta ou produtos que devem ser descartados ou fora de especificações que chegam ao mercado, logo, não existem recalls ou riscos à saúde dos seus consumidores.

Além da redução de SAC, todos os itens listados também ajudam seu laboratório a reduzir (ou eliminar) as tarefas manuais e repetitivas e diminuir o tempo total de processamento das amostras, análises e demais atividades de apoio, promovendo significativo aumento da capacidade produtiva e redução dos prazos de entrega dos resultados de análise com a mesma equipe e infraestrutura.

Camila Preterotto – Labsoft