Blog

Home
Custo do Software Atual = Preço do Software + Custo das Ineficiências
Artigos

Custo do Software Atual = Preço do Software + Custo das Ineficiências

compartilhe

CustoAs ineficiências do processo laboratorial são como vazamentos que desperdiçam seus limitados recursos, são como cânceres silenciosos que “comem” sua eficiência e, dependendo das ineficiências ou problemas, destroem o lucro do seu negócio, matando-o gradativamente.

Recentemente discutindo com um colega, percebi a importância de expressar isso de uma forma um pouco mais estruturada. De forma geral, existem 3 custos a considerar quando se está avaliando um novo software ou apenas reavaliando os custos do processo atual:

  • Diretos: Basicamente o preço do licenciamento do software atual em si, dos serviços de suporte e da infraestrutura de informática necessária;
  • Indiretos relacionados a eficiência do fornecedor atual versus os demais: Quão rapidamente os problemas são resolvidos? Qual é a disponibilidade do software? Qual a segurança oferecida? Quanto isso tem custado ao negócio em horas ineficientes ou mesmo, paradas? Estas são apenas algumas perguntas a se fazer para minimizar a possibilidade de escolher a solução que parece mais econômica e que acaba saindo mais cara e estressante;
  • Indiretos relacionados a não eliminação de ineficiências dos processos: São os vazamentos ou cânceres acima mencionados, na forma do custo dos desperdícios na utilização dos recursos humanos e materiais (Hh desperdiçadas em atividades que poderiam ser automatizadas, retrabalhos, insatisfação de clientes e desperdícios de insumos). Além disso, deve-se avaliar as receitas não geradas no aproveitamento de oportunidades de negócio com a redução de prazos de entrega, oferta de melhores serviços e confiabilidade do processo.

Dentre os principais pontos críticos para reduzir custos e aproveitar oportunidades em laboratórios de serviços, estão:

  • Controle e gestão de clientes e oportunidades de negócio, tabelas de preço, emissão automática de propostas e gestão de follow-ups;
  • Gerenciamento da agenda de recursos humanos e materiais das coletas, bem como cálculo automático de embalagens e preservação e geração de etiquetas;
  • Controle de coletas e registro de informações em campo por meio de Tablets e eliminação da transcrição de dados no recebimento de amostras;
  • Aquisição automática de dados dos equipamentos de análise;
  • Cálculo e interpretação automática dos resultados de análise frente às normas ou legislações;
  • Análise crítica automática das análises ou amostras, alertando os responsáveis ou clientes automaticamente por e-mail;
  • Geração automatizada dos relatórios de análises, sem perda de tempo em ajustes manuais, bem como entrega por meio de Portal de resultados.

Infelizmente muitos destes custos não são contabilizados e laboratórios continuam tendo prejuízos diários com o desperdício de recursos e não aproveitamento de oportunidades por utilizarem softwares “baratos” que não resolvem de verdade os problemas ou oferecem soluções complexas, lentas, limitadas ou mesmo, falhas.

Para baixar o eBook gratuitamente com exemplos reais, clique aqui.
Gostou? Compartilhe este artigo!

Receba conteúdos exclusivos

sobre gestão laboratorial, controle de qualidade industrial, saneamento, tendências e tecnologia no seu e-mail.

Mais lidos

Blog, Controle de Qualidade

APPCC: Garantindo a Qualidade dos Alimentos desde a Origem até o Consumidor Final com auxílio de um sistema LIMS

LEIA MAIS
Blog, Laboratorios

A Evolução do Controle de Dados Brutos: Rastreabilidade e Controle de Estoque com um LIMS

LEIA MAIS
Blog, Controle de Qualidade, Laboratorios

Transcrição manual de dados nunca mais!

LEIA MAIS

Artigos relacionados